O PERIGO MORA NO CONFORTO

Hoje eu venci o conforto!

Coloquei meia bonita e sapato elegante, me maquiei e passei perfume, só para ir até ali.

Por que? Por mim! Estava precisando dessa animada, de me ver mais bonita no espelho, de me mostrar…  

Estamos vivendo a era do conforto.

Conforto ao vestir, onde os saltos altos perdem a vez para tênis transados; roupas de malha, mais moles, que vão direto da cadeira de trabalho para o sofá.

Conforto ao se relacionar, onde a preguiça está levando à diminuição das mensagens de texto por áudios e telefonemas por vídeos chamadas.

Conforto cultural, onde os livros estão perdendo para as inúmeras séries disponíveis.

Conforto estético, com a redução da maquiagem já que estamos com boa parte do rosto coberto por máscaras.

Ao mesmo tempo que o conforto nos é seguro, também representa um alerta. Não estamos exagerando na dose?

Conforto demais pode ser facilmente confundido com desleixo. Conforto demais pode levar a um estado depressivo e a um isolamento social desmedido, afinal, “está tão quentinho aqui dentro, para que vou sair?”.  

Conforto demais compromete a postura e a nossa percepção do quanto a informalidade está em excesso.

Como para tantas outras coisas, o equilíbrio deve estar no meio e é próprio a cada um. O importante é não perder o foco na nossa imagem e nos nossos interesses. O que eu aparento hoje pode interferir no meu resultado de amanhã.

Está valendo a pena viver de forma tão confortável assim? 

Que tal compartilhar?

Share on facebook
Facebook
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

1 comentário em “O PERIGO MORA NO CONFORTO”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais artigos

Você também pode gostar destes

O PERIGO MORA NO CONFORTO

Hoje eu venci o conforto! Coloquei meia bonita e sapato elegante, me maquiei e passei perfume, só para ir até ali. Por que? Por mim!