Uma imagem ainda vale mais que mil palavras

Uma imagem vale mais que mil palavras.

A primeira impressão é a que fica.

Frases conhecidas e usadas no automático mas que reproduzem exatamente a ideia da importância da imagem pessoal, especialmente no ambiente corporativo.

Trago aqui comparações, independentes de questões políticas, para contextualizar as frases acima.

Uma autoridade que representa um Estado se presume que carregue uma mensagem de poder, credibilidade e confiança. Antes dos discursos, a imagem chega primeiro e já causa uma interpretação imediata no outro, negativa ou positiva.

Na primeira foto, vemos Bolsonaro chegando na Rússia, com uma roupa casual, despojada e amassada pela viagem. Prezou pelo conforto, pecou na formalidade e na postura. Ainda que depois de horas de voo, foi recebido por autoridades locais e passou em revista a tropa russa.

Seu traje demonstrou que estava dando pouca importância ao momento, talvez porque não recebido pelo próprio presidente russo, diminuindo as demais autoridades que estavam ali para recebê-lo.  

Um simples sobretudo, como se vê em Olaf Scholz (também em viagem à Rússia), já serviria para dar mais imponência à sua imagem porque forçaria uma postura ereta, com os ombros firmes transmitindo um ar de poder, mesmo sem o uso da gravata.

Pequenos detalhes podem fazer toda a diferença na interpretação da nossa imagem, e não são irrelevantes aos políticos e muito menos para nós. O conhecimento desses detalhes nos permite tirar proveito do que melhor nos representa e fortalece nossas intenções de imagem, tornando-os nossos aliados.

Se você não conhecesse nenhum dos dois políticos das fotos, quem você diria ser o representante da Alemanha? 

Que tal compartilhar?

Share on facebook
Facebook
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais artigos

Você também pode gostar destes

O QUE EU FAÇO COM O MEU PIJAMA?

Primeiro nos adaptamos à quarentena e a ficar e trabalhar em casa. Mil lives e conteúdos orientando a como sobreviver ao “novo normal”. Agora que